Logo

Palmadas na infância podem gerar problemas de saúde mental em adultos

english

ANN ARBOR - Levar palmadas quando criança pode levar a uma série de problemas de saúde mental na idade adulta, dizem pesquisadores da Universidade de Michigan.

Um novo estudo indica que a violência causada por palmadas pode provocar depressão nos adultos, gerar desejos de suicídio, compulsão à bebida ou drogas ilegais. A pesquisa é
de Andrew Grogan-Kaylor e Shawna Lee, ambos professores da Escola de Serviço Social da U-M, com alguns colaboradores.

"Classificar as palmadas em uma categoria semelhante às experiências de abuso físico/ emocional aumentaria nossa compreensão sobre esses problemas de saúde mental para adultos," disse Grogan-Kaylor.

A palmada é definida como o uso de força física com a intenção de fazer com que uma criança experimente dor, mas não lesão, para corrigir ou controlar o comportamento na juventude.

Os pesquisadores observam que, tanto as palmadas quanto o abuso físico, envolvem o uso da força e a punição de dor, e como estão ligados a resultados semelhantes de saúde mental, se levanta a questão de saber se as palmadas devem ser consideradas uma experiência de infância desfavorável. Isso envolve abuso, negligência e disfunção doméstica, que inclui divórcio e um parente encarcerado.

O estudo utilizou dados do estudo CDC-Kaiser ACE, que avaliou mais de 8.300 pessoas, com idades entre 19 e 97 anos. Os participantes do estudo completaram auto-relatórios enquanto passavam por cuidados médicos de rotina em clínicas de saúde.

Entre as perguntas, a frequência com que levaram palmadas até os 18 anos, os antecedentes de sua casa e se um adulto os puniu com abuso físico (empurrar, pegar, dar tapas ou empurrões) ou abuso emocional (insultar ou amaldiçoar).

Na amostra do estudo, quase 55% dos participantes relataram ter levado palmadas. Os homens sofreram mais ataques durante a infância do que as mulheres. Em comparação com os entrevistados brancos, as minorias - não considerando os asiáticos - foram mais propensas a denunciar por terem apanhado.

Aqueles que relataram exposição a palmadas tiveram maiores probabilidades de depressão e outros problemas de saúde mental, mostrou o estudo.

A autora principal Tracie Afifi, professora da Universidade de Manitoba, diz que é importante prevenir não apenas o maltrato infantil, mas também a educação severa por parte dos pais, antes dela ocorrer.

"Isso pode ser alcançado através da promoção de programas e políticas parentais baseados em evidências, e projetados para prevenir adversidades precoces e fatores de risco associados," disse Lee, que também é professora do Instituto de Pesquisa Social da U-M. "A prevenção deve ser uma direção crítica a ser adotada nas iniciativas de saúde pública."

Os resultados da pesquisa estão no Child Abuse & Negligence.