Logo

Acreditar nas habilidades de alguém no início da vida prevê sucesso na matemática e leitura

english

ANN ARBOR - Quando as crianças acreditam que podem ter sucesso em matemática e leitura, suas chances de conseguir resultados elevados nos mesmos assuntos aumenta, segundo um novo estudo.

Pesquisadores da Universidade de Michigan, da Pontifícia Universidade Católica do Chile e do grupo Independent Scholar usaram dois conjuntos de dados dos EUA, sendo um estudo nacional e um conjunto de dados da U.K. para medir autoconceito e avaliações padronizadas de resultados acadêmicos iniciais e posteriores.

O autoconceito, ou as crenças cognitivas que as pessoas têm sobre si mesmas, é neste caso, como os estudantes percebem suas capacidades para ter sucesso em tarefas acadêmicas.

Os dados envolveram jovens com idades entre 5 a 18 anos: 13,901 crianças britânicas do estudo longitudinal Avon de Pais e Filhos, 1.354 crianças americanas do Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano e 237 crianças americanas do Painel de Estudo de Dinâmica do Rendimento e Suplemento de Desenvolvimento Infantil.

O estudo considerou o sucesso anterior das crianças, suas características e antecedentes, incluindo o peso ao nascer, a raça/etnia, o gênero, a idade e a educação materna.

Os pesquisadores descobriram que o autoconceito das crianças sobre a sua habilidade em matemática previu o sucesso posterior na matemática, enquanto seu próprio conceito de sua habilidade na leitura previu seu êxito na leitura posterior.

O resultado sugere que os links entre autoconceito de habilidade e a conquista posterior são específicos para os domínios; ou seja, há um link do autoconceito dos alunos sobre a leitura para o sucesso na leitura e do autoconceito dos estudantes sobre matemática para o ótimo desempenho na matemática.

"Não é incomum ver medidas padronizadas de conquista ou cognição preverem o sucesso escolar, mas encontrar uma relação entre mais uma medida motivacional como o autoconceito de habilidade mostra que há muito mais para se entender sobre como as crianças atingem o sucesso do que apenas examinar o desempenho anterior", disse a coautora do estudo, Pamela Davis-Kean, professora de Psicologia e do Instituto de Pesquisa Social da UM.

O estudo também mostrou que o sucesso não se limitava aos alunos que atuavam nos níveis mais altos.

"Se estende a estudantes com diferentes níveis de realização em matemática e leitura", disse Maria Ines Susperreguy, professora assistente da Pontifícia Universidade Católica do Chile, que liderou o estudo. "Mesmo os alunos com menor desempenho que tiveram uma visão mais positiva de suas habilidades de matemática e leitura tiveram maiores níveis de conquista em matemática e leitura".

Os pesquisadores disseram que não sabiam o que os pais ou alunos faziam para criar essas crenças, mas é uma questão que ainda será investigada.

As descobertas aparecem na edição atual do Child Development.

Study

Pamela Davis-Kean