Menu
A+ A A-

É realmente sobre mim, não sobre 'você’

engish

É realmente sobre mim, não sobre 'você’ANN ARBOR—Para lidar com experiências negativas ou compartilhar uma descoberta, as pessoas costumam usar a palavra "você" ao invés de "eu".

"Você" é uma palavra negligenciada que as pessoas usam geralmente para expressar normas e regras, descobriu uma nova pesquisa da Universidade de Michigan.

Os investigadores conduziram nove experimentos com quase 2.500 pessoas para entender porque as pessoas curiosamente usam "você" não só para se referir a alguém em específico, mas também para refletir sobre suas próprias experiências.

"É algo que todos nós fazemos como uma forma de explicar como as coisas funcionam e para encontrar significado em nossas vidas," disse Ariana Orvell, estudante de doutorado do Departamento de Psicologia e autora do estudo. "Quando as pessoas usam 'você' para falar de alguma experiência negativa, faz com que ela normalize a experiência e reflita sobre o acontecido à distância, de fora."

Por exemplo, a frase "algumas vezes você ganha, outras você perde" pode indicar que uma pessoa falhou em determinada situação, mas usando a palavra 'você', ela é capaz de se expressar dizendo que isso poderia acontecer com qualquer um, disse a pesquisadora.

"Ou dizer que 'quando você está com raiva, você diz e faz coisas que provavelmente se lamentará' pode realmente explicar uma situação pessoal, mas o indivíduo tenta clarificar algo que fez e que já pode ter acontecido com muitas pessoas", disse Orvell.

Em um experimento, Orvell e seus colaboradores pediram aos participantes para escrever sobre uma experiência pessoal: ou dando sentido a um acontecimento negativo, revivendo um acontecimento negativo ou simplesmente escrevendo sobre uma experiência neutra. Aqueles que estavam no grupo que tinha que escrever para dar um sentido a algo usaram o genérico "você" mais vezes em suas respostas (46% deles usaram a palavra pelo menos uma vez) do que aqueles no grupo que tinham que reviver um evento negativo (10% usaram a palavra pelo menos uma vez) ou no grupo neutro (3% usaram a palavra pelo menos uma vez).

Os pesquisadores também descobriram que usar o genérico "você" levou as pessoas a verem o evento de uma forma mais distante. Eles também disseram que pode parecer contraditório que as pessoas generalizem uma situação quando querem refletir sobre uma experiência mais pessoal e idiossincrática.

"Nós suspeitamos que é a capacidade de ir além da sua própria perspectiva para expressar experiências compartilhadas e universais que permite com que os indivíduos deem sentido a um evento negativo pessoal de uma maneira mais ampla," disse Orvell.

Os resultados aparecem na edição mais recente da Science.

 

Mais informações: