Menu
A+ A A-

U-M oferece acesso aberto à tecnologia de carros automáticos para acelerar a investigação

english espanol

Um veículo autônomo na MCity, em Ann Arbor, na Universidade de Michigan. Crédito da imagem: Joseph Xu, Escola de EngenhariaUm veículo autônomo na MCity, em Ann Arbor, na Universidade de Michigan. Crédito da imagem: Joseph Xu, Escola de EngenhariaAnn Arbor - A Universidade de Michigan irá disponibilizar aos pesquisadores veículos para testes de novas tecnologias de carros autônomos.

Os veículos, conhecidos como CAVs abertos (sigla para Connected and Autonomous Vehicles), são equipados com sensores que incluem radar e câmeras, entre outras características, que poderão ser conectados a um sistema operacional de robô. Mais adiante, será adicionada uma plataforma de desenvolvimento aberta para a comunicação entre os veículos conectados.

Os carros estão na MCity, a cidade simulada da U-M, que tem espaços urbanos e suburbanos em uma mesma área, e possibilita o teste de veículos automatizados, com segurança. Enquanto algumas outras instituições oferecem veículos para pesquisa semelhante, a U-M é a única que também opera instalações de testes de alta tecnologia.

A combinação será "transformacional", disse Carrie Morton, diretora-adjunta do Centro de
Transformação de Mobilidade da U-M, o MTC. O centro é uma associação público-privada, composta por mais de 60 parceiros da indústria.

Morton disse que ao fornecer uma plataforma para profissionais, estudantes, parceiros do setor e startups para testes de tecnologias de veículos conectados e automatizados, os CAVs vão quebrar barreiras tecnológicas e acelerar a inovação dramaticamente. "Nós estamos democratizando o acesso à tecnologia de veículos autônomos para a pesquisa e a educação," disse.

O custo e o tempo são grande barreiras de entrada para novos jogadores participarem das pesquisas neste campo. Hoje, as companhias automobilísticas estão liderando esse esforço. Mesmo com progressos, estão fazendo o trabalho isso em sistemas patenteados ou registrados.

As oportunidades de falta de testes em carros "abertos" podem conter a inovação. Muitas vezes, pesquisadores e desenvolvedores de tecnologia com ideias para melhorar o sistema controles ou componentes, não têm como fazer testes para ver se essas ferramentas vão funcionar no mundo real. Os alunos se limitam em opções para estudar apenas os sistemas conectados.

Os CAVs podem mudar tudo isso.

Crédito da Imagem: Joseph Xu, Escola de Engenharia, MichiganCrédito da Imagem: Joseph Xu, Escola de Engenharia, Michigan"Essas plataformas de investigação vão mudar a maneira como fazemos o nosso trabalho," disse Jessy Grizzle, diretor de Robótica e professor de engenharia. "Os carros são muito caros e difíceis de manter por um especialista em controle ou um especialista na percepção, por exemplo. Agora, em vez de manter um carro apenas para verificar sua área de especialidade, os pesquisadores podem utilizar o carro com parceiros e realizar seus sonhos."

O primeiro CAV da MTC é um sedã Lincoln MKZ, com plataforma de autonomia PolySync, que fornece a base para desenvolvimento rápido de veículos autônomos. Dois veículos compactos de Kia Soul vão se juntar ao Lincoln, em breve. O novo kit PolySync Open Source, que permite o controle completo "drive by-wire" e foi introduzido pela empresa Automobility LA, será instalado nos carros Kia.

A MTC irá adicionar as capacidades de comunicação de curto alcance dedicada aos veículos para apoiar a intersecção dos carros autônomos e conectados e permitir o desenvolvimento de aplicações de veículos conectados. Com esses recursos, os veículos podem conversar "entre si" de forma anônima através de comunicações sem fio, semelhantes ao Wi-Fi, para melhorar segurança.

Do um ponto de vista da investigação, os CAVs abertos são completamente personalizáveis, disse o diretor de MTC Huei Peng, Professor de Engenharia Mecânica. "Os pesquisadores podem trazer seu próprio hardware - e trocar qualquer sensor que deseje.Ou eles podem criar controles avançados para tirar proveito de várias tecnologias de sensores que já estão nos veículos. Além disso, é possível explorar como essas tecnologias funcionam 'na vida real' dentro da MCity."

Do ponto de vista educacional, os veículos darão aos estudantes da graduação e do mestrado, oportunidades para explorar os sistemas de mobilidade avançados e uma oportunidade para refiná-los. Professores e alunos já estão começando a trabalhar nestes veículos para que eles possam operar sem um motorista. A U-M planeja oferecer um curso para ensinar a utilização dos CAVs abertos em cerca de um ano.

Os CAVs abertos estarão disponíveis para os alunos que participam do TechLab da MCity, uma incubadora para aprendizagem experimental envolvendo startups em fase inicial com estudantes interessados na aplicação da aprendizagem, aliada ao desenvolvimento prático da tecnologia.

Mobility Transformation Center
TechLab at Mcity
Center for Entrepreneurship